Por que falta de ar e ansiedade estão diretamente relacionadas?

Especialistas estão trabalhando há anos em teses que comprovam que a falta de ar e ansiedade possuem uma relação significativa e direta. Mas podemos entender essa ligação a partir dos esportes também, como no caso do mergulho em apneia.

A prática dessa modalidade visa permanecer o maior tempo possível embaixo d’água sem respirar, descendo a grandes profundidades somente com o ar retido nos pulmões. Em outras palavras, é um esporte que testa os limites humanos.

Em entrevista à Revista Época Negócios, a brasileira recordista sul-americana da modalidade, Flavia Eberhard, afirma que o maior obstáculo não se encontra no mar ou na falta de oxigênio, mas na própria mente.

Foco no presente

É necessário ter controle sobre os pensamentos para vencer, focando no presente. “Você desce sabendo aonde quer chegar e com a consciência de que precisa subir. Mas não pode ter a ansiedade de cumprir logo esse roteiro”, comenta Flávia.

Atingir esse controle estratégico sobre a mente durante o mergulho não é fácil. No entanto, é algo necessário para poder ganhar a prova. Assim como no esporte, o trabalho também passou a ser considerado um grande mergulho em apneia para muitas pessoas.

A falta de ar que você vem sentindo nos últimos dias ou semanas pode estar relacionada a uma potencial ansiedade. Para entender melhor esse assunto, continue lendo e acompanhe uma explicação mais detalhada sobre o que acontece dentro de você e como vencer isso!

Entendendo a ansiedade

Rollo May, em seu livro O Significado da Ansiedade (1980), determina que ela equivale a uma relação de conflito entre a pessoa e o ambiente ameaçador, e os processos neurofisiológicos decorrentes dessa ligação.

Assim, a ansiedade conduz uma experiência de perigo para o indivíduo, a qual pode manifestar sintomas de ordem cognitiva e fisiológica. Hiperatividade, agitação e atenção elevada são alguns exemplos frequentes.

A intensidade do sentimento de perigo próximo faz com que relações entre falta de ar e ansiedade se transformem em uma resposta comum do organismo. A dinâmica é bastante simples…

Respirando demais

Falta de ar e ansiedade podem ser causadas pelo grau de instabilidade de uma pessoa, resultando em hiperventilação, isto é, o excesso de respiração. No momento de um nível de ansiedade incontrolável, por exemplo, o corpo se prepara para uma ameaça.

A condição de ameaça oferece duas possibilidades para o indivíduo: fugir ou lutar. Isso faz com que uma pessoa comece a inspirar muito oxigênio e expirar muito dióxido de carbono. É o caso daquela respiração mais ofegante, que você sente estar respirando demais.

Esse é o mecanismo do corpo responsável por manter o indivíduo em estado de alerta, fazendo com que ele respire o suficiente.

No entanto, o resultado leva a falta de ar, comprometendo inicialmente o sistema respiratório e, em poucos minutos, o cardíaco, o nervoso e por aí vai.

Mas para reverter essa situação desconfortável de falta de ar e ansiedade não adianta ficar pensando na sua respiração em momentos mais críticos do dia. Afinal, isso não vai resolver o fato do seu corpo te colocar em instabilidade contínua. Por isso, surge a pergunta…

Como vencer a falta de ar e ansiedade?

Você pode vencer a falta de ar e ansiedade investindo em uma respiração adequada e saudável. Não estamos falando apenas em inspirar fundo, contar até 10 ou expirar lentamente em situações de estresse no trabalho, por exemplo.

É preciso unir esforços para trabalhar o diafragma, principal músculo da respiração. Quando esse órgão não apresenta bom desempenho, sintomas como falta de ar, tensão e dificuldade para se comunicar, se tornam comuns.

Pensando nisso, criamos um ebook para ajudar você a melhorar a maneira que respira e reduzir esses e outros sintomas, causados na maioria das vezes por níveis elevados de ansiedade e estresse. Quer conferir?

Faça o download do e-book gratuito e acesse exercícios de respiração eficazes para melhorar a falta de ar na sua rotina!